domingo, 5 de junho de 2011

Fiordes da Noruega - Kiel

Dia 2 – Kiel

O dia para mim começou cedo, porque tal como anoitece tarde também o amanhecer é muito madrugador. Eu não me apercebi que os cortinados do quarto estavam ligeiramente abertos pelo que às 5:30h já estava acordado. O ponto de encontro era no lobby apenas às 10:15h, hora prevista para a chegada do autocarro com o grupo que regressava do Báltico ( a MSC nesta altura faz percursos alternados, i.e. uma semana o Orchestra vai para o Báltico na semana seguinte vai para os Fiordes). Pelo que me foi explicado isto permite que se façam cruzeiros de 15 dias juntando os 2 percursos (ai se eu pudesse!!!!!). A nossa guia permanente, Daniela, desembarcou em Kiel às 8:00h desse mesmo dia e acompanhou o grupo até ao nosso hotel em Hamburgo trocando de lugar com a Cármen, que apenas faz o acompanhamento dos grupos em Hamburgo.

Depois de ver alguma televisão para fazer horas e acordar o resto da família lá nos levantamos para tomar o pequeno-almoço. Surpresa já estava quase toda a gente de malas na mão prontos a fazer o check-out, pensei logo que era só pressa para entrar no Orchestra. O pequeno-almoço bom, bastante variado e tomado numa área junto ao jardim o que foi muito agradável.


O grupo foi pontual pelo que rumamos à hora programada a Kiel para iniciar o nosso cruzeiro. A viagem durou cerca de 1:15h e foi passada com explicações sobre o funcionamento dos cruzeiros (cartões credito, gorjetas, cartão navio, refeições, bebidas, etc.), temas importantes para quem nunca fez um cruzeiro, mas uma seca de 1h com este assunto foi dose.

Cerca das 11:45h lá avistamos pela 1ª vez o Orchestra e a agitação no autocarro foi alguma.


O Orchestra atracado em Kiel

O autocarro parou junto à porta do terminal de cruzeiros e logo de seguida os funcionários responsáveis pelas bagagens retiram as malas e as levaram para o interior do terminal e só apareceram nos camarotes cerca das 17:00h, achei algo lento, mas também não tenho grande termo de comparação pois normalmente aproveito este 1º dia para efectuar um reconhecimento do barco.

Utilizei o check-in online da MSC pelo que dirigi-me ao balcão de Express Check-in. Como não havia fila em nenhum posto de check-in o atendimento foi rápido para toda a gente inclusive os balcões Express a atenderem clientes “normais”.

O nosso itinerário


Ainda entramos a tempo de almoçar a bordo. Neste dia o horário era alargado, o almoço buffet decorria entre as 12:00h e as 17:00h. Lembrei-me dos comentários da SViegas sobre o horário curto para almoço e pensei que final íamos ter sorte (pura ilusão!!!!). O horário variou pouco, um dia prolongou-se até às 15:30 (suponho que em Flamm) e em Copenhaga até às 16h porque era dia de embarque. Aspecto positivo e que contrariou as indicações que me tinham sido dadas foi a possibilidade de jantar no buffet uma refeição mais leve em alternativa ao jantar “à lá carte”. Não posso dar a minha opinião pois nunca utilizei.

Ainda antes do almoço, ao entrar no camarote já tínhamos o programa do dia:





e o nosso camarote, o 11198:





as vistas da nossa varanda:


Depois lá fomos até ao buffet, apesar da fome não ser muita, efeitos do bom pequeno-almoço e da azáfama do embarque que normalmente me tira o apetite.


Primeiro contacto com os preços das bebidas. Optamos por apenas comprar um pacote de 21 cafés por cerca de 26,45€. Não achei os preços muito elevados (para a realidade dos cruzeiros) e acho que no final poupei dinheiro.



Depois do almoço aproveitamos então para fazer o reconhecimento das zonas principais do navio:




a piscina (de agua quente!!!)




Uma primeira olhadela aos salões interiores:





O simulacro de emergência teve lugar nessa mesma tarde, o que por um lado é positivo já que se arruma logo a coisa.


Ficou marcado um ponto de encontro com a guia ao final da tarde para tirar algumas dúvidas e apresentar as excursões para Hellisylt e Stavanger.

Apenas escolhi a ida ao glaciar (De Geiranger ao Glaciar de Briksdal), porque era já um objectivo traçado em Portugal, mas sobre isto falarei mais adiante.

Após a reunião, jantar e espectáculo:

por esquecimento só tirei esta foto da comida





No final do espectáculo ainda fomos até ao Shaker Lounge para a festa tropical, com a equipa de animação, composta na maioria por brasileiros e alguns italianos. Neste aspecto acho que tivemos sorte porque acho que os brasileiros são mais simpáticos connosco do que os italianos.




Aproveitei para experimentar um cocktail, Tequila Sunrise!


Depois disso…xixi….cama!!!

Amanha é só navegar…