terça-feira, 5 de outubro de 2004

Budapeste - Hungria - 5 Outubro 2004



05 Outubro 2004 - Budapeste - Hungria

Eis-nos no nosso ultimo dia completo em Budapeste!

Para este dia planeamos uma aventura daquelas que ficam na memória: visitar o mercado público Ecseri, uma feira de antiguidades Ecseri é um tipo de Feira da Ladra do bloco soviético.


Fica a cerca de 12kms do centro e a viagem implicava apanhar alguns comboios/metros para lá chegar. É necessário bastante energia e engenho do turista para lá chegar, mas vale a pena, pois será uma experiência inesquecível. No nosso caso não foi porque, simplesmente perdemo-nos! Numa determinada altura em que tínhamos de mudar de comboio numa estação ficamos sem saber qual o comboio que tínhamos de apanhar e como ninguém nos sabia dizer, não quisemos arriscar e sair dos limites de utilização do nosso bilhete ilimitado de transportes públicos, e voltamos para trás.

Novamente dentro dos limites da cidade decidimos ir até à Praça dos Heróis, o nosso segundo objetivo para aquele dia.

No lado Peste da cidade, uma grande avenida tem início nas traseiras da Basílica de São Estêvão. É a Avenida Andrássy (Andrássy útca), uma das principais da cidade com 2,5km de extensão, onde estão localizadas importantes atrações como o Museu Liszt Ferenc, a Casa do Terror e a Casa de Ópera.
Nela estão também localizadas as principais lojas da moda, mundialmente conhecidas, como Louis Vitton, Gucci, Armani e Dolce & Gabanna.

A acompanhar esta avenida está a primeira linha de metro da cidade e uma das mais antigas da Europa, a M1 ou linha do Milénio.


Durante o caminho fomos admirando, umas vezes por fora outras entrando para ver mais de perto os principais locais ao longo da avenida.

A primeira a aparecer-nos foi a Casa de Ópera (Magyar Allami Operahaz) que é o principal centro cultural da cidade. O edifício neorrenascentista inaugurado em 1884 é sede das companhias nacionais de ópera e de ballet e apresenta os principais espectáculos e concertos do país.

O seu interior ostenta muita riqueza, seja através de objectos, obras de arte e detalhes em ouro. Para se ter uma noção do luxo, é possível visitar o hall principal gratuitamente, pois nele está localizada a bilheteira para os espectáculos.

O acesso ao interior pode ser feito através de uma visita guiada que acontece diariamente. A entrada para um adulto custa 2900 huf.

Tal como referi a Av. Andrássy termina na Praça dos Heróis (Hősök tere), que foi construída para as celebrações do milénio de 1896. Este foi um ano muito marcante na história da cidade, com muitas festas e celebrações, pois mil anos antes, em 896, os primeiros magiares chegaram na região em que hoje está estabelecida da capital da Hungria. É a maior praça da cidade e encontra-se junto ao Parque Municipal da cidade, no final da Av. Andrássy.


No seu centro existe uma coluna com 36 mts de altura, com uma estátua do Arcanjo Gabriel no seu topo, e com sete outras estátuas à sua volta, que representam os chefes das sete tribos magiares que deram origem à cidade. Em ambos os lados da coluna há um conjunto de colunas que contêm diversas estátuas homenageando alguns dos principais personagens da história húngara.

Ao lado da praça estão dois dos principais museus da cidade: do lado direito o Palácio das Artes (Műcsarnok), onde são organizadas exposições temporárias; e do lado esquerdo o Museu de Belas Artes (Szépművészeti Múzeum), com obras de El Grevom, Velásquez, Goya, entre outros artistas, e que possui secções dedicadas ao Egipto, arte italiana e arte francesa, etc.

No final da praça damos de caras com o mais famoso parque municipal de Budapeste, o Varosliget, é uma grande área verde dentro da área urbana de Budapeste. Além de ser acessível a partir da Praça dos Heróis existe também uma estação de metro (Széchenyi fürdő, linha M1) localizada mesmo no seu centro.

Entre as atrações do parque estão o Jardim Zoológico da cidade, as termas de Széchenyi, o parque de diversões Vidámpark, o castelo Vajdahunyad e um lago que no inverno fica gelado permitindo a patinagem no gelo.


Ainda no lado de Peste, a poucos quarteirões da Ponte das Correntes e da Basílica de São Estêvão, com início a partir da estação de metro Vörösmarty tér, linha M1, fica a maior rua comercial e considerada o coração da cidade: a Váci Utca, uma rua pedonal na sua maior parte, pois apenas um pequeno pedaço da rua esta aberta ao transito de veículos. A rua está dividida em duas partes, sendo cortada a meio pela estrada que dá acesso à Ponte Elizabeth. A parte sul da rua está mais virada para as compras, com uma grande quantidade de lojas, enquanto na parte norte estão localizadas os restaurantes e cafés.

Uma caminhada pela rua, tanto de dia quanto à noite, é uma ótima maneira de usufruir um pouco da agitação da cidade.

No final da Váci Utca, com uma das entradas a ser feita pela via de acesso à Ponte da Liberdade, está localizado o Mercado Central de Budapeste (Nagy Vasarcsarnok), o principal mercado público da cidade, instalado num edifício construído em 1897.

 
As barracas do andar térreo vendem frutas, legumes, peixes entre outros alimentos. No segundo piso existe um café e as lojas comercializam na sua maioria artesanato ou souvenirs.

O horário de funcionamento do mercado varia conforme o dia da semana: segunda-feira das 6h às 17h; de terça a sexta das 6h às 18h; sábados das 6h às 15h; e aos domingos ele permanece fechado.

E assim terminou a nossa visita a Budapeste. Regressamos ao Porto via Zurique, logo ao inicio da manha do dia 6 de Outubro com a alma cheia de todos os encantos que encontramos nesta cidade lindíssima!

Deixo aqui um resumo video da nossa estadia:
Até à próxima!