domingo, 3 de outubro de 2004

Budapeste - Hungria - 3 Outubro 2004



03 Outubro 2004 - Budapeste - Hungria

Estávamos no terceiro dia passado em Budapeste. O dia uma vez mais começou cedo pois o destino naquele dia seria fora do centro e implicava uma viagem em autocarro. Iríamos visitar o Parque das Estátuas, também chamado Szoborpark ou Memento Park.

Szoborpark constitui atualmente um dos maiores ícones a serem visitados em Budapeste, o que pode ser feito com algumas empresas de tours organizados em 2-3 horas ou como nós fizemos que compramos a entrada diretamente ao parque e passamos quase um dia inteiro no parque. Apanhamos o autocarro na praça Deak bem cedo, sendo que atualmente o autocarro apenas sai às 11:00h.

  
Trata-se de uma excelente escolha para aqueles que pretendem conhecer melhor e aprofundar um pouco os seus conhecimentos sobre a história da Hungria no período em que as terras húngaras eram mantidas acorrentadas ao regime comunista, dominado pelos soviéticos nomeadamente no período de 1945 até 1989.

Trata-se de um museu a céu aberto sob a forma de um parque temático alusivo ao Comunismo. Foi concebido pelo arquiteto húngaro Ákos Eleőd, que o projetou através de um concurso lançado pela administração da cidade na época, (Fővárosi Közgyűlés), e assim sucessivamente inaugurado e oficialmente aberto ao publico em 29 de junho de 1993 no segundo aniversário da retirada dos exércitos russos do território húngaro. 

  
Localizado nos arredores de Budapeste, o parque conserva estátuas monumentais do período soviético. Entre as obras expostas podemos destacar estátuas de Lenine, Karl Marx e Friedrich Engels, assim como de líderes comunistas húngaros e de outras nacionalidades (Béla Kun e Georgi Dimitrov).

Durante o Comunismo, o Realismo Socialista deu origem a algumas das mais impressionantes obras 
de escultura do século XX. Diferenciando-se da maior parte dos países do ex-Bloco do Leste que manteve uma atitude iconoclasta, que os levou a se desfazer das estátuas socialistas, os húngaros, após a queda do regime comunista na Hungria em 1989, quando muitas das estátuas e monumentos comunistas foram imediatamente retirados dos seus locais de origem, fundaram este parque, decidindo assim em preservar esta “herança” única que, até 1989, ocupava as grandes praças e ruas do país. Estas obras propagandistas, algumas dos meados dos anos 80 do século passado, estão agora reunidas num dos mais peculiares parques temáticos europeus, alusivo ao Comunismo. Em exposição, encontram-se no total 42 peças de arte recolhidas das ruas de Budapeste, e algumas delas são gigantescas. No interior, os bustos e estátuas de Lenine, Marx e Engels, e Soldado com a bandeira, a queda de um soldado, entre outras relíquias aqui preservadas e datadas do período comunista na Hungria.

  
Compreendido entre 1945 e 1989, incluindo monumentos alegóricos dedicados aos temas da amizade húngaro-soviética e da libertação. Em conjunto com as estátuas, existe um complexo de edifícios conhecido como a praça das testemunhas, que se destina a acolher instituições culturais húngaras e também à realização de cerimónias e eventos de cariz cultural. Devido à insuficiência financeira, este complexo ainda não se encontra concluído.

A maior parte das estátuas encontra-se distribuída pelos seis círculos que constituem o jardim. Algumas delas possuem inscritas frases dentro do contexto que lhes deu origem, tais como "Pelo trabalhador! Pela pátria! Avante!" e "Um e indivisível”. Entre as estátuas, encontra-se também uma cópia da base do monumento em honra a Estaline, que existiu no centro de Budapeste (em Felvonulási tér) entre 1951 e 1956. A estátua original foi destruída em 1956, tendo sido cortada pelos joelhos pelo povo e tendo ficado as botas de bronze do ditador no local, como lembrança sarcástica. Atualmente podemos avistar uma cópia das botas de Estaline ao longo da entrada do Parque. A réplica não pretende ser uma cópia exata, mas sim uma recriação artística da autoria do escultor e arquiteto Ákos Eleod.

 
O parque constitui uma atração turística muito popular e pode ser visitado todos os dias a partir das 10 horas da manhã até ao pôr-do-sol. Possui ainda uma loja de recordações onde são vendidos artefactos lembrando a era comunista, por vezes ao som de antigas canções do bloco do leste.

Um aviso curioso aos candidatos a visitantes do parque: não se deixem intimidar pela frieza e aspereza de trato da recepcionista da bilheteira do parque! Ela foi especificamente seleccionada entre muitas outras candidatas para mostrar ao publico visitante, como eram o trato e a qualidade de serviços prestados durante o comunismo! Posso confirmar, pessoalmente todas as características da mulher pois quando mostrei o bilhete de ida no autocarro deveria ter ficado com um pequenino papel que nos daria acesso ao autocarro de regresso. Não fiquei pois não sabia e foi-nos negada a entrada no autocarro para o regresso e após pedido de ajuda à referida funcionária a mesma só acedeu a dar-me um novo papel depois de contar todos os bilhetes vendidos com viagem de autocarro e o numero de bilhete de regresso na secretaria dela. Vi o caso mal parado e cheguei a pensar que teria de comprar novos bilhetes para regressar à cidade.

O que podemos encontrar no parque:


Estátuas da entrada
 
Artista
Ano
Matéria
Local de Origem
Lenin
Pál Pátzay
1965
Bronze
Felvonulási tér
Karl Marx e Friedrich Engels
György Segesdi
1971
Granito de Mauthausen
V. ker. Jászai Mari tér


Memoriais da Libertação
 
Artista
Ano
Matéria
Local de Origem
Libertação do Soldado
Zsigmond Kisfaludi Strobl
1947
Bronze
Gellért-hegy
Monumento de Amizade soviético-húngaro
Zsigmond Kisfaludi Strobl
1956
Bronze
X. Pataki (hoje: Szent László) tér
Monumento da Libertação
István Kiss
1971
Calcário sedimentado
XIV. Thököly út 141.
Memorial da Libertação
desconhecido
1960
Calcário sedimentado
I. Dísz tér
Monumentos Heróicos Soviéticos
Péter László
1951
Calcário
XII: Széchenyi hegy, Rege park
Monumento de Amizade soviético-húngaro
Barna Búza
1975
Granito
X. Kőbánya-Óhegy, Barátság park
Monumentos Heróicos Soviéticos
Sándor Mikus
1970
Bronze
XVI. Rákosszentmihály, Hősök tere
Monumento da Libertação
Viktor Kalló
1965
Bronze
XIII. Béke tér
Monumento da Libertação
Viktor Kalló
1965
Calcário
XIII. Béke tér
Monumentos Heróicos Soviéticos
Barna Megyeri
1948
Calcário
XVII. Kasztel András utca


Personalidades do movimento ao Trabalho
 
Estátua
Artista
Ano
Matéria
Local de Origem
Memorial Lenin
Iván Szabó
1970
Bronze
VII. Lenin (hoje: Erzsébet) tér
Busto de Georgi Dimitrov
Jordan Kracsmarov
1954
Bronze
V. Dimitrov (hoje: Fővám) tér
Estátua de Dimitrov
Valentin Sztarcsev
1983
Bronze
V. Dimitrov (hoje: Fővám) tér
Memorial ao movimento á luta dos trabalhadores
Klára Olcsai-Kiss, Zoltán Herczeg, Aladár Farkas
1967
Bronze
VIII. Kun Béla (hoje: Ludovika) tér
Lenin
Escultor Sovético desconhecido
1958
Bronze
XXI. Csepel, Vasmű entrada principal
Bust de Kalamár József
Tamás Gyenes
1957
Bronze
XXI. Kalamár József
(hoje: Szent István) utca
Carpinteiro János
István János Nagy
1968
Calcário
VIII. Nagyvárad tér
Kreutz Róbert
András Kiss Nagy
1977
Bronze
VIII. Asztalos János
Ifjúsági Park (hoje: Orczy Kert)
Placa de Kun Béla
Viktor Kalló
1989
Bronze
XXI. Tanácsház (hoje: Szent Imre) tér
Busto de Ságvári Endre
György Baksa Soós
1949
Bronze
V. Városház u. 9-11.
 Estátua Szakasits Árpád
László Marton
1988
Bronze
XI. Szakasits Árpád (hoje: Etele) út
Memorial á Kun Béla
Imre Varga
1986
Bronze,
aço cromo e cobre
I. Vérmező-park
Münnich Ferenc
István Kiss
1986
Bronze
V. Néphadsereg (hoje: Honvéd) tér
Chlepkó Ede
György Szabó
1980
Bronze
XIX. Chlepkó Ede tér
(hoje: Ötvenhatosok tere)
Palca de Turner Kálmán
Autor desconhecido
1959
Mármore
IX. Soroksári út
Placa de Hámán Kató
Autor desconhecido
1959
Mármore
IX: Mester utca 59.


Movimento e conceitos a evento dos Trabalhadores
 
Estátua
Artista
Ano
Matéria
Local de Origem
Placa de Soldados e Trabalhadores
Autor desconhecido
1959
Mármore
I. Szentháromság u. 2.
Placa: demonstração de lugares de trabalho.
András Kiss Nagy
1973
Bronze
VI. November 7. tér (hoje: Oktogon) 2.
Memorial ao Movimento do Operário Padrao
István Kiss
1976
Placas de aço
II. Hűvösvölgy
 Brigadas Internacionais na Espanha. Memorial a combatentes húngaros
Agamemnon Makrisz
1968
Placas de latão e bronze
V. Néphadsereg (hoje: Honvéd) tér
Memorial ao Conselho da República
István Kiss
1969
Bronze
XIV. Dózsa György út (Felvonulási tér)
Topografia: guardiões do trabalho pela paz
Sándor Ambrózi, Károly Stöckert
1953
Calcário
II. Pasaréti út 191-193.
KMP Placa ao memorial do corpo de Francis homenagiado pela cidade.
Autor desconhecido
1959
Mármore
IX. Soroksári út
KMP Placa tipográfica
Autor desconhecido
1955
Mármore
IX. Ráday u. 53.
Monumento aos Heróis ao poder do povo.
Viktor Kalló
1983
Calcário
VIII. Köztársaság tér
Memorial aos mártires contra-revolucionária
Viktor Kalló
1960
Calcário
VIII. Köztársaság tér
Memorial do Regimento Real dos Voluntariados
Mihály Mészáros
1975
Concreto
II. Tárogató út
Osztapenko
Jenő Kerényi
1951
Bronze
XI: Budaörsi út - Balatoni út
 Monumento ao Capitão Steinmetz
Sándor Mikus
1958
Bronze
XVIII. Vöröshadsereg (hoje: Üllői) út

Após o regresso à cidade visitamos inicialmente a Opera de Budapeste...

  
...depois uma sinagoga...
  
e finalmente fomos caminhando ao longo do Danúbio até ao local onde apanhamos o autocarro de regresso ao hotel.




Amanha, continuaremos por cá!

Até lá!