sábado, 1 de janeiro de 2011

Nova Iorque – World Trade Center

1 de Janeiro de 2011 – Nova Iorque – World Trade Center

Após o regresso a Battery Park e aproveitando que estávamos na baixa de Manhattan dirigimo-nos até ao que foi o World Trade Center e agora é “apenas” o “Ground Zero”.


Desde 2001, nos Estados Unidos, especialmente nos meios de comunicação, "Ground Zero" é geralmente entendida como o local do World Trade Center, que foi destruído em 11 de Setembro. A frase foi aplicada para identificar o local do World Trade Center poucas horas após as torres caírem. Parece que o uso do termo numa emissão de uma televisão, em referência aos ataques de 11 de setembro foi cerca de 11:55 quando uma testemunha ocular que alegadamente era um freelancer da Fox News referiu a expressão por duas vezes para o nível zero do edifício. Também foi a primeira pessoa a sugerir que a causa do colapso das torres poderia ter sido devido a "falha estrutural devido aos incêndios". Outro exemplo do uso da expressão é o de uma entrevista às 16:41h, com Peter Jennings na ABC News, em que este entrevista um advogado e sobrevivente dos ataques, Tom Humphreys que disse, em referência ao colapso da Torre Sul:

"A tragédia é que o pessoal da polícia e bombeiros que tentavam ajudar as pessoas a sair do edifico estavam mesmo no Ground Zero, quando o que aconteceu...".



Toda a zona estava em obras e notava-se que existe uma vontade muito grande de reconstruir toda a área onde estavam implantadas as Torres Gémeas, um pouco como se isso “cicatrizasse a ferida”. Observando a zona fiquei impressionado com o tamanho do “buraco a céu aberto”.


Como o acesso às obras é proibido fomos visitar uma igreja que estando localizada mesmo em frente ao local dos atentados serviu de apoio aos bombeiros e policias durante as operações de resgate. Ficou transformada num memorial não oficial às vítimas da tragédia com imensas fotografias e outros pertences de vítimas afixados pelas paredes. Impressiona a quantidade de vítimas e famílias que foram devastadas.


Desde aqui dirigimos-nos à 5ª Avenida para terminar o dia apreciando as famosas lojas comerciais desta avenida que é efectivamente uma perdição, houvesse cartão de crédito que resistisse.

Ainda me passou pela cabeça comprar um Ipad já que os preços eram convidativos mas quando fui informado que o 3G não funcionaria em Portugal mudei logo de ideias.

Destaco neste passeio pela 5 Avenida, a St Patricks Cathedral, uma catedral católica onde foi rodado um dos filmes “Homem Aranha” e o Rockefeller Center, onde se localiza um dos melhores observatórios da cidade, o “Top Of The Rock” que vale uma visita. Infelizmente por falta de tempo não subimos a este edifício, também pelo facto de termos subido ao Empire State Building.


Já no regresso ao hotel demos de caras com o museu “Madame Tussauds”  (http://www.madametussauds.com/NewYork/) em Times Square. Já conhecíamos o museu original em Londres e como ainda era cedo para o jantar decidimos entrar para ver quem eram os famosos que lá estavam retratados. Não me lembro quanto paguei, mas posso informar que o preço actualmente é de cerca de 30 USD dependendo de como se compra o bilhete. Pode-se sempre questionar se vale a pena a visita a estes museus que nada acrescentam ao nosso saber, mas isso é uma resposta que cada um terá de responder.


E assim estava quase terminada a nossa viagem, pois no dia seguinte regressaríamos a Portugal, mas isso é para outra altura…